Sexta, 16 Março 2018 11:16

A retaliação

Escrito por Lúcio Flávio Pinto
Avalie este item
(0 votos)

Os juízes e membros do Ministério Público federal tentaram retirar o fundamento meramente econômico da manifestação de protesto que realizaram ontem. Destacando que eles integram “as únicas categorias a não conseguir o reajuste do serviço público”. A medida caracterizaria “uma retaliação em função do combate à corrupção promovida por eles”.

Essa retaliação – “difusa, não aberta, e ainda mais perigosa”, segundo o procurador federal José Robalinho Cavalcanti) – “acaba por amedrontar e trazer intimidação”, no diagnóstico do também procurador Ângelo Fabiano da Costa.

Convenhamos: é suscetibilidade muito a flor da pele para quem começa a carreira jurídica com salário bruto de 27,5 mil reais e boas condições de trabalho nas capitais. Juízes e procuradores podiam continuar a lutar pelo reajuste proposto no ano passado, de 16%. Mas teriam que eliminar o auxílio moradia de todos que já possuem imóvel próprio ou moram nas capitais metropolitanas do país.

Se o ataque econômico serev de pretexto a retaliação dos poderosos que estão sendo processados no âmbito da Operação Lava-Jato, a melhor resposta de suas excelências seria acelerar a tramitação dos processos, conforme a lei, e sentenciar com o máximo de segurança e competência para tornar inócuos os recursos das defesas desses mafiosos.

A nação, penhorada, agradeceria.

Ler 81 vezes
Mais nesta categoria: « Mandarins? A justiça fede »

Comments fornecido por CComment