Sexta, 31 Agosto 2018 15:35

Pró-Saúde investigada

Escrito por Lúcio Flávio Pinto
Avalie este item
(0 votos)

A Polícia Federal voltou a prender, hoje de manhã, no Rio de Janeiro, Sérgio Côrtes, que foi secretário de Saúde do Estado no governo de Sérgio Cabra, talvez o mais corrupto governador do Brasil, já condenado a 100 anos de prisão. O juiz federal Marcelo Bretas atendeu pedido do Ministério Público Federal e da Receita Federal, que investigam fraudes na secretaria, que beneficiaram a Organização Social Pró-Saúde (Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar).

Diretores da instituição, que tem sede em São Paulo, teriam confessado em juízo o pagamento de propinas para obter contratos com a administração estadual, que lhe proporcionou metade da sua receita em todo país, com a gestão de apenas quatro hospitais públicos. Seu faturamento no Rio passou de 750 milhões de reais em 2013 para R$ 1,5 bilhão em 2015. Nesse período, o MPF estima que os contratos fraudados permitiram o desvio de cerca de R$ 74 milhões dos cofres públicos.

No Pará, a Pró-Saúde administra 10 hospitais, sete dos quais, dos mais caros que o governo já construiu, são públicos, funcionando em seis municípios, incluindo dois na região metropolitana de Belém. O sétimo, dos maiores, deverá ser inaugurado no próximo mês, no auge da campanha eleitoral, em Icoaraci. É o “Abelardo Santos”.

Ler 109 vezes Última modificação em Segunda, 07 Janeiro 2019 16:45
Mais nesta categoria: « Arquivo JP (40) O golpe do PT »

Comments fornecido por CComment