Sexta, 02 Março 2018 09:00

O Pará: pobre

Escrito por Lúcio Flávio Pinto
Avalie este item
(0 votos)

Uma família paraense padrão (ou média), com cinco integrantes, tem 24 reais para as suas despesas de cada dia. São R$ 715 por mês. Essa renda corresponde a apenas 75% do salário mínimo nacional. Cada família paraense é desfalcada de R$ 239 em relação ao mínimo individual, calculado para permitir ao menos a sobrevivência dos imndivíduos (e já nem isso permitindo nos nossos dias).

Comparativamente à média familiar dos brasileiros, de R$ 1.268, a discrepância é ainda maior:  são R$ 553 de diferença. No Distrito Federal, com a melhor renda (o que diz muito sobre este país burocratizado e corporativista), a renda média por família é mais de três vezes maior: R$ 2.548.

O Pará tem a 3ª pior renda do Brasil e a pior da Amazônia. No país, fica atrás apenas de Alagoas, do ex-presidente (e atual senador, em vias de se candidatar novamente ao Planalto) Fernando Collor de Mello (R$ 658), e do Maranhão, do também ex-presidente José Sarney (renda de R$ 597).

O Estado da Amazônia com a maior renda média familiar é Roraima, o 13º do ranking nacional, com R$ 1,006, com R$ 296 a mais do que as famílias do Estado mais rico da região, com sua elite mais presunçosa e presepeira.

Os dados são do Pnad, a Pesquisa Nacional por Amostragem Domiciliar do IBGE.

Precisa dizer mais?

Ler 54 vezes

Comments fornecido por CComment