Domingo, 04 Fevereiro 2018 14:50

No rastro do dinheiro

Escrito por Lúcio Flávio Pinto
Avalie este item
(0 votos)

Raul Schmidt, preso ontem em Portugal, tem um currículo (ou folha corrida) especial no conjunto dos personagens da Operação Lava-Jato. Por duas vezes, uma na Inglaterra e outra, agora, em Portugal, ele se tornou foragido da justiça, com dinheiro suficiente para se esconder e tentar escapar à perseguição de várias polícias. Ousadia, portanto, não lhe falta – e o distingue dos demais perseguidos, presos, indiciados, denunciados e sentenciados.

Mas não é só por isso que ele tem importância. Ele parece ser o elo mais forte entre as propinas pagas pelo cartel das empreiteiras e um alvo que ainda não foi adequadamente visado: os contratos para a construção das sondas para as pesquisas de petróleo no pré-sal. Os valores correntes nessas transações são medidos em bilhões de reais. Talvez se essa caixa preta for arrombada, se chegue a outra, igual ou maior: o BNDES.

Ler 106 vezes

Comments fornecido por CComment