Segunda, 29 Janeiro 2018 16:54

Ética pública

Escrito por Lúcio Flávio Pinto
Avalie este item
(0 votos)

Diário do Pará lançou, hoje, uma nova série de maquetes para montar sobre os casarões de Belém, comemorando os esmaecidos 402 anos da capital paraense. As duas primeiras cartolinas, sobre o palacete Bolonha, são acompanhadas por um encarte de oito páginas que instrui o colecionador na montagem da maquete e dá informações sobre o prédio.

Um dos patrocinadores da promoção é da iniciativa privada, a Fibra (Faculdade Integrada Brasil Amazônia), com anúncio de uma página em formato tabloide (metade do tamanho standard de todos os dias). O maior patrocínio, porém, é do governo federal, que está pagando duas páginas por edição.

Um dos donos do jornal, Helder Barbalho, é o ministro da Integração Nacional do mesmo governo, chefiado por Michel Temer, que acaba de cometer a ignomínia de aceitar no Incra o filho de 22 anos do insensato deputado federal Wladimir Costa.

Helder não se sente constrangido com esta situação? Ou jura que nada teve a ver com essa mídia, que foi programada sem o seu conhecimento?

Se a segunda pergunta tem resposta afirmativa, a primeira pergunta pode ter resposta positiva e o ministro está justificado. Se for o inverso, precisa se explicar. Se não se explicar, alguém que cuida da ética pública podia chamá-lo à ordem?

Ler 54 vezes
Mais nesta categoria: « Queda para o alto? Veja errou »

Comments fornecido por CComment