Quinta, 06 Dezembro 2018 09:05

O terremoto previdenciário

Escrito por Lúcio Flávio Pinto
Avalie este item
(0 votos)

Em 2017 o déficit de caixa para fazer as remessas quase 100 milhões de brasileiros foi de R $ 1.870,77 per capita. Já o rombo com 10,4 milhões de recursos públicos foi de R $ 15.692,30 per capita.

No ano passado, o Regime Geral de Previdência Social destinado aos empregados das empresas privadas, com 97,5 milhões de participantes (65,1 milhões de contribuintes e 32,4 milhões de beneficiários), provocou um déficit previdenciário de R$ 182,4 bilhões (déficit per capita por participante de R$ 1.870,77).

Em 2017, o Regime Próprio da Previdência Social destinado aos servidores públicos (União, 26 Estados, Distrito Federal e 2.123 municípios mais ricos), com apenas 10,4 milhões de participantes (6,4 milhões de contribuintes e 4 milhões de beneficiários), gerou um déficit previdenciário no valor de R$ 163,2 bilhões (déficit per capita por participante de R$ 15.692,30).

O déficit previdenciário decorrente do atendimento aos servidores públicos da União (civis e militares) foi de R$ 86,3 bilhões; dos governos estaduais, foi de R$ 73,6 bilhões, e dos governos municipais, de R$ 3,3 bilhões. Totalizando déficit previdenciário do serviço público: R$ 163,2 bilhões.

Em 2017 a previdência social brasileira total (governo e empresas privadas) gerou um déficit de R$ 345,6 bilhões. Esse enorme buraco foi coberto com as fontes de financiamentos (como a Cofins).

São contribuições atingem todos os brasileiros, mesmo os que não fazem parte do grupo coberto pela previdência, como os desempregados e os empregados informais sem carteira de trabalho assinada. Esse contingente representa quase a metade da população economicamente ativa. Não participam dos benefícios, apenas dos custos.

Em 2017 a renúncia previdenciária autorizada pelo governo somou R$ 43,7 bilhões com exportações, simples nacional e com entidades filantrópicas, dentre outras de menor significância.

(Quem não se choca com esses números (que têm por base as fontes oficiais do INSS, citadas pelo professor Ricardo Bergamini, por mim reelaboradas), ou busca uma saída escapista não tem coração nem inteligência. Não pensa seriamente no drama brasileiro.)

Ler 54 vezes Última modificação em Domingo, 06 Janeiro 2019 11:37

Comments fornecido por CComment