Sábado, 20 Abril 2019 17:40

Um dia qualquer

Escrito por
Avalie este item
(0 votos)

Um pouco antes da cinco da tarde de ontem, um homem desceu de um automóvel Civic preto, todo peliculado, deu alguns passos na direção de um rapaz, que caminhava com a mulher por uma das ruas laterais do igarapé do Una, na ponte do Galo, no Telégrafo, deu-lhe nove tiros de pistola ,40, voltou para o carro e foi embora. Ninguém viu nada.

Marco Antônio Victor Soares, de 20 anos, morreu na hora. Ele acabara de sair da penitenciária, depois de cumprir condenação por tráfico de drogas. O pai disse que ele vinha recebendo ameaças de morte. Vizinhos comentaram que, apesar de novo, Marco traficava drogas na Pedreira havia muito tempo. Ao tráfico voltou depois de ganhar a liberdade. Agora por pouco tempo. Saiu do crime pela porta cada vez mais usada: a da execução sumária, sem possibilidade de fuga, sabe-se lá por qual das muitas organizações e pessoas dedicadas ao ofício da morte.

Cena do cotidiano de Belém.

Ler 105 vezes

Comments fornecido por CComment