Segunda, 17 Dezembro 2018 15:19

Disputa acadêmica

Escrito por Lúcio Flávio Pinto
Avalie este item
(0 votos)

No final do ano passado, os professores Fernando Facury Scaff e José Maurício Conti participaram do concurso de professor titular de direito financeiro da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Scaff passou em primeiro lugar, com a nota 9,23, enquanto Conti recebeu a nota 8,98.

A partir daí tudo teria seguido seu curso normal se o candidato derrotado não tivesse enviado ao Tribunal de Contas da União e ao Ministério Público Federal denúncias contra o o paraense, alegando “irregularidades no fato de Scaff também dar aulas na Universidade Federal do Pará”, segundo nota da coluna de Mônica Berfgamo na Folha de S. Paulo de hoje.

“Conti afirma que Scaff não cumpre a carga horária exigida no Pará, mesmo recebendo o salário. E sugere conivência das universidades”, acrescenta a jornalista.

Scaff se defendeu dizendo “que não há irregularidades e que as escolas estão cientes da sua situação. Afirma ainda cumprir suas tarefas docentes “de forma presencial ou através dos sistemas de informática”.

Ele alega que Conti busca “enxovalhar” a sua reputação e a das instituições após ambos terem disputado um concurso para professor titular de Direito Financeiro na USP, vencido por Scaff. Conti diz que o concurso foi enviesado”.

No seu memorial para o concurso, com 313 páginas (o de Conti tinha 194), Scaff informa que é professor da UFPA desde 1988 e da USP a partir de 2009; Em ambas, sob regime de tempo parcial e não integral. Logo, sem incompatibilidade nem mágica.

Até prova em contrário, esse contencioso parece ser mais um capítulo da inesgotável novela sobre disputas acadêmicas nada elevadas.

Ler 156 vezes Última modificação em Segunda, 07 Janeiro 2019 21:52

Comments fornecido por CComment