Sábado, 05 Janeiro 2019 17:25

Jatene nega déficit

Escrito por Lúcio Flávio Pinto
Avalie este item
(0 votos)

Eu acabei de atualizar a matéria com as declarações dadas a O Liberal pelo novo secretário da Fazenda quando recebi uma nota do ex-governador Simão Jatene, enviada pelo publicitário Orly Bezerra, que reproduzo na íntegra, em respeito ao direito de resposta.

Todos sabem que o Pará, nos últimos anos, apresentou um claro equilíbrio nas suas contas. O que é comprovado não só pelas análises e avaliações feitas por várias instituições nacionais, autônomas e responsáveis, mas inclusive pelo pagamento absolutamente regular dos servidores e a ampliação dos serviços públicos.

Face a essa postura, no último quadriênio, o Estado conseguiu fazer uma expressiva poupança, para financiar emergências ou aumentar o nível de investimentos

Graças a isso, em 2018, mesmo sem o Governo Federal repassar o Fundo de Exportações, foi possível pagar o 13° salário e o salário de dezembro no próprio mês, além de aumentar espetacularmente os investimentos que nesse ano superaram 2,4 bilhões de reais.

Diga-se de passagem, maior valor investido que se tem notícia no Estado. Consequentemente, por uma opção deliberada, inclusive para contribuir com a redução da taxa de desemprego – que no último trimestre, segundo o IBGE, foi de 11,9% no Brasil, 11,5% na Amazônia e 10,9% no Pará – graças a poupança acumulada foi possível gastar em 2018 mais do que foi arrecadado. O que só por ignorância ou má-fé pode ser apresentado como “rombo” a ser pago.

Ao contrário, além de bem mais de R$ 100 milhões em caixa, o Estado dispõe hoje de mais de R$ 1 bilhão decorrente de operações de crédito para investir. Só para o BRT até Marituba, por exemplo, estão disponíveis mais de 500 milhões de reais. Essa é a verdade!

Ler 79 vezes Última modificação em Segunda, 07 Janeiro 2019 16:16

Comments fornecido por CComment