Sexta, 10 Agosto 2018 12:02

Praça= votos

Escrito por Lúcio Flávio Pinto
Avalie este item
(0 votos)

Construir praça continua a ser considerado iniciativa de alta rentabilidade eleitoral. Uma praça e seus adereços, no valor de 31,5 milhões de reais, na área portuária de Belém, é o cartão de visita de Helder Barbalho para tentar atenuar a alta rejeição que ele, seu pai e o nome de família enfrentam na capital paraense. Com 55% das obras realizadas em poucos meses, graças a 200 trabalhadores utilizados e dinheiro garantido, a revitalização da zona portuária, designada como Belém Porto Futuro, deverá estar com sua maior parte concluída até a eleição de outubro, apregoa hoje O Liberal, em matéria mais destacada do que no Diário do Pará, o jornal dos Barbalho.

O projeto, em torno da praça General Magalhães (o avô e não o próprio Magalhães Barata), da Doca de Souza Franco e criando um novo escoamento da avenida Pedro Álvares Cabral, parece conter caveira de burro. Nada nela deu certo até agora. Passada uma nova investida, ela volta a ficar abandonada e ocupada por moradores de rua e alvo de criminosos. O Porto Futuro do candidato do MDB ao governo do Estado promete que, desta vez, com instalações para lazer e exercício físico, o empreendimento vai se consolidar e se tornar ponto de atração na cidade. Se muito bem policiado, iluminado e ocupado, talvez.

Esse dinheiro não poderia trazer mais benefício para a população se fosse aplicado na dragagem dos canais da Doca e do Reduto, que estão muito assoreados e contribuem para alagamentos maiores na área? Claro: não é obra que rende votos. Só resulta em credibilidade e no bem público, que deveriam ser os objetivos maiores dos políticos.

Ler 130 vezes Última modificação em Segunda, 07 Janeiro 2019 18:00

Comments fornecido por CComment