Domingo, 19 Agosto 2018 14:12

O fim de Carajás: 2060

Escrito por Lúcio Flávio Pinto
Avalie este item
(0 votos)

A jazida de minério de ferro de Serra Sul, em Carajás, no Pará, a mais rica do planeta, vai durar apenas 30 anos. Sua exploração, iniciada em 2016, deverá terminar em 2046, com a exaustão da mina, que abriga o minério com mais alto teor de hematita pura que existe.

Serra Norte, a primeira a entrar em operação, em 1984, chegará ao fim antes, em 2040 (daqui a apenas 22 anos), quando completará 56 anos de atividade. Serra Leste, com menor produção, menor teor e a menor jazida, que entrou em operação em 2014, subsistirá até 2060 .

Nesse ano, daqui a 32 anos, terá acabado completamente o maior depósito de minério de ferro de alto teor do mundo. Continuará a extração no quadrilátero ferrífero de Minas Gerais, onde essa atividade foi iniciada em 1942, 44 anos antes de Carajás. A última jazida de Minas chegará à exaustão em 2118.

E o Pará está calado, omisso e indiferente à pilhagem de uma riqueza mineral que sai do Estado no maior trem de carga do mundo, operado pela Vale, dona exclusiva das minas, como uma sangria econômica desatada, tendo a distante China como seu principal destino.

(Pela gravidade do assunto, decidi antecipá-lo neste blog ao Jornal Pessoal, que circulará nesta semana aprofundando o gravíssimo tema. Ele não faz parte da agenda de nenhum candidato à eleição de outubro, nem para o governo do Estado nem para qualquer outro cargo eletivo.)

Ler 38 vezes Última modificação em Segunda, 07 Janeiro 2019 17:48

Comments fornecido por CComment