Quarta, 20 Junho 2018 16:55

Violência na sociedade

Escrito por Lúcio Flávio Pinto
Avalie este item
(0 votos)

Menos de um ano depois de ser condenado pela justiça a quatro meses de detenção, por agredir uma mulher, Arthur Wanzeller Pereira Kawhage, de 33 anos, voltou a cometer o mesmo crime. No domingo, 17, ele – juntamente com a sua namorada – agrediu a socos Pâmela Vanessa, durante o “Terraço Brasil”, uma festa realizada pela empresa Roma Eventos após o jogo entre o Brasil e a Suíça, no shopping Boulevard, na Doca de Souza Franco, em Belém.

Em entrevista dada ao Diário do Pará, Pâmela disse que a companheira de Arthur, Zaiana Fonseca, teria sentido ciúmes de uma das amigas que a acompanhavam e começou a discutir com ela. Foi então que Arthur interferiu e aplicou um soco no nariz de Pâmela, que, em seguida, também foi agredida por Zaiana, desmaiando. Arthur, por fazer exercícios de musculação, é muito forte.

Pâmela lamentou a omissão dos seguranças da festa diante o caso. Ela afirmou ao Diárioque os seguranças teriam demorado a intervir na situação e que não retiraram os dois agressores do local. “Só quem saiu de lá foi eu e de ambulância”, disse indignada, após ser socorrida por uma equipe dos bombeiros do shopping. Tanto a Roma quanto a direção do shopping negaram as falhas.

Na mesma noite, ela foi à seccional de polícia do Comércio para registrar um boletim de ocorrência. Foi submetida depois a exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal.

“Eu e minhas amigas estamos revoltadíssimas e assustadas. Ele é acostumado a fazer isso, é metido a brabo, só é homem pra mulher. E eu sou a quinta moça que ele agride”, protestou ao Diário.

O jornal relata que no dia seguinte Pâmela foi procurada por uma moça que afirma também ter sido vítima de Arthur em outra ocasião, se oferecendo também para tomar qualquer tipo de “providências juntas”.

Arthur Kawhage tem um currículo de agressões e procedimentos judiciais. Em agosto do ano passado ele foi condenado a 4 meses de detenção pela juíza Gildes Maria Silveira Lima, da 1ª vara da justiça especial criminal de Belém. Ele agrediu Luana Falcão Dias durante uma festa na boate Pink Elephant.

A pena foi suspensa condicionalmente, desde que Arthur prestasse serviços à comunidade.. Agora ele é reincidente. Mas já fora processado pelo mesmo motivo, mas absolvido por falta de provas. Também foi testemunha contra Jefferson Michel Miranda Sampaio, acusado de ter assassinado João de Deus Pinto Rodrigues, de 27 anos, durante uma festa privada na boate Element, em Belém, em fevereiro de 2015.

Seu depoimento foi usado para atribuir a morte a Michel, apontado como fornecedor de drogas para o herdeiro do grupo Líder. Michel o teria matado por envenenamento com uma excessiva dosagem de uma droga química,, muito usada por jovens da alta sociedade belenense, principalmente em festas em boates. Arthur Kawhage participava – ou ainda participa – desse grupo.

Ler 100 vezes

Comments fornecido por CComment